Pular para o conteúdo

SIPAT

Semana Interna de Prevenção de Acidente de Trabalho e Meio Ambiente – SIPAT 2021

1º dia - Formas de prevenção da covid-19 no âmbito da responsabilidade individual perante o coletivo

A pandemia de covid-19 encara um aspecto importante nas questões de saúde e doença: os níveis de atenção e adesão das populações às medidas preventivas são de muita importância.

Cuidados para evitar doenças envolvem aspectos individuais, como escovar os dentes para prevenir a cárie ou tomar um medicamento à base de iodo para tratar o bócio (aumento do volume da glândula tireóide). Podemos citar como exemplo as políticas públicas de inclusão de flúor na água tratada e de iodo no sal de cozinha para combater, em larga escala, os mesmos problemas citados anteriormente.

Da mesma maneira, existem riscos à saúde que são individuais (caso do tabagismo), que convivem com riscos coletivos, a exemplo da poluição atmosférica, e ambos elevam a propensão a problemas respiratórios.

No nosso dia a dia, os aspectos individuais são mais percebidos ou enfatizados por serem mais próximos, mas existem situações em que o aspecto comunitário fica bem mais evidente: as epidemias são um dos casos mais notáveis.

Uma epidemia pode ser representada como um adoecimento agudo de uma comunidade, enquanto uma pandemia é considerada uma doença aguda de toda uma sociedade. Pensando nisso, a VACINAÇÃO é uma estratégia de controle de doenças no nível comunitário, não apenas no nível individual.

O objetivo de uma vacinação em massa não é somente diminuir o número de casos da doença, mas atacar as cadeias de transmissão do vírus, revertendo uma epidemia.

A PARTIR DO MOMENTO EM QUE A INCIDÊNCIA COMEÇA A CAIR NA COMUNIDADE, O VÍRUS VAI ENCONTRANDO CADA VEZ MAIS DIFICULDADE EM CONSEGUIR SE ESPALHAR. Como uma bola de neve, a vacinação da população e, consequentemente, a redução da transmissibilidade da doença, faz com que o risco de contrair Covid-19 tenha uma queda maior em nível comunitário, num efeito que transborda a eficácia dos imunizantes em si.

Para exemplificar melhor o conceito, vamos fazer uma analogia com o futebol. Um bom jogador é capaz de tomar a bola do adversário fazendo com que ele chute menos ao gol. Mas, quando bons zagueiros tomam cada vez mais bolas, o tempo de posse de bola do time inteiro é aumentado e o do adversário é diminuído.

O número final de chutes a gol do adversário começa a cair bem mais do que aquele que seria, devido apenas ao número de jogadas bem marcadas. A vacina é como um bom jogador. Ela tem um efeito a nível individual e outro no nível coletivo.

Existe também a diferença entre o nível individual e o comunitário que não basta vacinar e sair para a rua, pois seu risco de adoecer depende mais do status epidêmico do que apenas da eficácia da vacina individual. Assim, outros cuidados são recomendados até que a incidência da doença caia para níveis não epidêmicos.

Então, o risco de se infectar com uma doença transmissível está mais associado à situação epidêmica do que ao nível de proteção individual. O seu risco individual é proporcional à incidência da doença na comunidade. Em um contexto epidêmico, a vacina e os cuidados diminuem relativamente esse risco em relação a quem não aderiu a esses cuidados, além de reduzirem a transmissão da doença. Há, portanto, benefícios individuais e coletivos.

O que podemos concluir é que o direito individual não poderá prevalecer sobre o bem coletivo.

Leia mais

2º dia - Como melhorar sua inteligência emocional em tempos de pandemia

E de repente o mundo parou. Fomos surpreendidos por uma pandemia provocada pelo vírus Sars-CoV-2, causador da Covid-19, mais conhecido como “novo” Coronavírus. Inúmeros questionamentos foram colocados para debate na tentativa de entender o atual cenário e projetar como seria a nova realidade, durante e após esse período. E nesse cenário, nos encontramos tendo que administrar todas as emoções advindas com essa nova realidade: tristeza, medo, incerteza, insegurança, entre outras. Nesse contexto, a inteligência emocional foi e está sendo fundamental para mantermos de pé a nós mesmos e nossos objetivos.

Nesse momento, é importante trabalhar a inteligência emocional para ajudar a manter a autoestima.

Mas antes, é preciso entender o que é Inteligência emocional (IE). De acordo com a Psicologia, IE é o conjunto de competências relacionadas a capacidade de uma pessoa em identificar e lidar com suas emoções pessoais e dos outros.

Vamos explicar tópicos que precisamos trabalhar em nós no dia a dia:

PERCEPÇÃO

Pessoas, em geral, trabalham com seus sentimentos no plano de fundo. É como se sentimentos pudessem atrapalhar o dia-a-dia se fossem reconhecidos. No entanto, perceber exatamente o que se está sentindo é importante para desenvolver a IE.

Ao longo do dia, é importante verbalizar como você está se sentindo. Assim, perceber quais são os sentimentos que estão aflorando no momento te coloca mais em controle deles e de si mesmo.

Outra maneira de fazer isso é, todo dia, compartilhar alguma emoção positiva com alguém.

ESCUTE

Entender outros também é um passo importante. Com maior inteligência emocional, é possível criar laços e conexões mais fortes com quem está ao redor.

Por isso, é necessário ouvir os outros e se engajar de forma ativa durante conversas.

“A maioria das pessoas, em uma conversa, está preocupada demais em pensar o que vai responder que não ouve o que o outro está dizendo. “Da próxima vez que estiver conversando com alguém, se empenhe em focar no que realmente estão dizendo. Escute.”

DIÁLOGO

Conversar com alguém, às vezes, é algo extremamente unilateral. Estar em uma conversa em que um lado está apenas em um monólogo, falando sem parar sobre algo que não interessa a outra pessoa, é extremamente comum.

Por isso, é sempre bom evitar ser essa pessoa. Buscar o diálogo, por meio de um interesse em comum, é necessário para fortalecer as conexões com outras pessoas.

SAIBA QUANDO PARAR

Muitas vezes perdemos o controle das emoções. Para isso, o melhor é saber criar maneiras de parar e impedir que elas tomem conta.

“Para algumas pessoas funciona contar até dez”. “para outros, é cantarolar uma música favorita. Ache algo que funcione para você e use quando sentir raiva.”

RELEMBRE O DIA

A hora de dormir é a hora de rever as interações que teve naquele dia. Pense no que deu certo e no que pode ser melhorado. Caso algo tenha dado errado, pense como evitar repetir este erro no futuro.

“Lembre que qualquer progresso é um vitória e que te colocará na direção certa.”

Leia mais

3º dia - A importância da prática de atividades físicas

Muito se fala sobre a importância de realizar exercícios com frequência. Porém, quais doenças, de fato, eles podem prevenir?

Dentre os benefícios da atividade física está a prevenção de uma série de doenças, inclusive o câncer. Realizar exercícios, especialmente os aeróbicos, faz com que os processos do corpo funcionem melhor, além de também auxiliar no aspecto psicológico. Para que esses efeitos aconteçam, não é necessário procurar uma academia ou passar horas treinando. É possível se exercitar dentro de casa e estudos mostram que, mesmo somente alguns minutos, já trazem resultados.

A prática regular de atividade física promove o equilíbrio dos níveis de hormônios, reduz o tempo de trânsito gastrointestinal, fortalece o sistema imunológico e ajuda a manter o peso corporal adequado. Dessa forma, melhora dores, condicionamento físico, qualidade do sono, controle do estresse e desempenho cognitivo.

“O corpo humano necessita de movimento, tornando-se fundamental para a saúde praticar atividades, tanto para tratar, quanto para prevenir doenças”.

Como consequência da prática, há uma diminuição no desenvolvimento de doenças causadas pelo sedentarismo. Como doenças cardiovasculares, obesidade, diabetes, hipertensão, insônia e o câncer. Importante ressaltar que sobre os tumores, os estudos já comprovaram que os exercícios previnem, principalmente, os de cólon, endométrio e mama.

BENEFÍCIOS DA ATIVIDADE FÍSICA

  • Redução do risco de AVC (acidente vascular cerebral)
  • Diminuição da pressão arterial, reduzindo as chances de doenças cardiovasculares
  • Reduz as chances e controla a diabetes
  • Evita a perda óssea (osteoporose)
  • Ajuda a controlar o peso
  • Melhora da insônia
  • Ajuda na circulação sanguínea
  • Promove o bem-estar físico e mental

Atividade física e prevenção do câncer

Apesar do câncer ser uma doença multifatorial e alguns aspectos não poderem ser controlados, como a predisposição genética, é possível fazer a prevenção por meio de algumas ações. Por exemplo, ter uma alimentação saudável e prática regular de exercícios físicos.

“Diversos fatores estão ligados a essa ação oncoprotetora, entretanto simplificando: a atividade física regular reduz o estresse oxidativo. Isto é, a produção de radicais livres (agentes que podem prejudicar o metabolismo intracelular e ocasionar danos ao DNA e RNA),  lipídios e proteínas. Radicais livres também promovem o mau funcionamento do sistema de reparo do DNA, contribuindo para a proliferação de células com mutações. Ou seja, o desenvolvimento do câncer”.

Além da prevenção, diversos trabalhos também têm apontado que a atividade física pode fazer parte do tratamento oncológico. Por exemplo, um estudo realizado com camundongos que praticaram exercícios demonstrou uma redução de 60% na incidência e no crescimento tumoral.

Quanto tempo é necessário para que aconteçam os benefícios da atividade física?

O recomendado são 150 minutos semanais. Sendo que eles podem ser divididos em práticas de 20 ou 30 minutos, ou mais de 1h. A duração diária varia de acordo com o condicionamento físico e disponibilidade na agenda da pessoa.

Já em relação ao tipo de atividade, foi provado que os exercícios aeróbicos, com intensidade moderada, são os mais eficazes.

Começar uma rotina de exercícios pode parecer difícil, mas o aconselhado é que o primeiro passo inicie com a consciência sobre os benefícios da atividade física, em seguida, vem a escolha de uma modalidade que seja prazerosa, em terceiro é preciso criar uma rotina para a prática regular e, com isso, a motivação virá naturalmente, já que a pessoa passará a sentir os resultados em sua saúde.

“O espaço livre de uma casa, como: varanda, quintal, quarto podem ser transformados em ambientes para iniciar uma vida saudável.

Leia mais

4º dia - Prevenção de incêndios e acidentes em casa ou no trabalho

Pequenas atitudes podem fazer grande diferença

Somos os maiores interessados e responsáveis por manter nossos lares e locais de trabalho em segurança. Para isso,  precisamos descobrir os riscos e eliminá-los. É importante também conscientizar toda a família e os funcionários da empresa em que trabalhamos.

Vamos abordar o tema sobre: panelas de pressão. Elas estão entre os utensílios domésticos que mais causam acidentes.

Uma pesquisa da Sociedade Brasileira de Queimaduras mostrou que um milhão de brasileiros se queimam todos os anos. Quase 80% dos acidentes acontecem dentro de casa, com destaque para a cozinha, considerado um dos cômodos mais propícios para ferimentos por conta do fogão.

Cuidados no uso de panela de pressão:

Contudo, não basta colocar água e levar ao fogo. Nesta oportunidade vamos orientar alguns cuidados indispensáveis que precisam ser adotados para evitar acidentes domésticos – como a expansão repentina causada por excesso de pressão – e que podem ocasionar prejuízos materiais e até afetar fisicamente pessoas que estejam próximas.

Primeiramente, a prevenção já se inicia na compra da panela de pressão. Para tanto, observe se sua panela dispõe do selo do Instituto Nacional de Metrologia, Normalização e Qualidade Industrial (Inmetro) e, somente adquira panelas com essa certificação.

“Sempre deve observar a manutenção das três partes de segurança da panela de pressão que são: a válvula de pressão, a válvula de segurança e a borracha de vedação”, destacou o oficial.

Dicas para evitar acidentes:

MANUTENÇÃO

Manter a panela de pressão com a manutenção em dia, ou seja, limpar com regularidade a válvula de pressão e a válvula de segurança, retirando toda a obstrução que normalmente se dá por meio de gordura. Assim que houver algum desgaste na borracha de vedação, deve-se trocá-la. A maioria dos acidentes e incidentes ocorrem pelo não alívio na pressão da panela por meio da válvula de segurança e/ou válvula de pressão.

USO DIÁRIO

Todavia, no uso diário, recomendamos colocar os condimentos e temperos após os alimentos. Primeiramente se amolece os alimentos com a pressão e somente depois se coloca os temperos. Atitude simples que diminui o risco de obstrução da válvula e, consequentemente, de acidentes.

Atitudes simples também previnem o desgaste do utensílio e a sua deformação. O indicado, geralmente, é usar 65% da capacidade do utensílio, ou seja, se é um recipiente com capacidade de 5 litros, deve-se colocar um volume de apenas 3,250 litros.

É preciso observar, enquanto a panela estiver no fogo, se a válvula está funcionando normalmente, se está aliviando ou não à pressão. Se a válvula não estiver liberando pressão, provavelmente estará obstruída e o alívio deverá ser feito mecanicamente. Para isso, basta levantar a válvula de pressão suavemente e após o uso limpá-la adequadamente, retirando toda a gordura, como já foi orientado.

O posicionamento do cabo da panela também é um item de segurança. Ele deve estar sempre voltado para o interior do fogão, e nunca para fora, evitando que, acidentalmente, a panela seja derrubada.

Nunca se deve abrir a panela de pressão sem verificar se toda a pressão foi aliviada.

PÓS USO

Sempre após o uso da panela de pressão, os resíduos de gordura têm que ser removidos cuidadosamente da válvula de pressão, para não ocorrer obstrução.

A borracha e a tampa devem ser lavadas separadamente. Com a borracha limpa, é recomendável observar se a mesma apresenta algum tipo de falha. O ideal é não guardar a borracha na tampa, porque ela perde a elasticidade.

Nunca levar a panela de pressão após o uso para a pia e abrir a torneira d’água, pois esta atitude poderá ensejar um choque térmico por conta das diferenças de temperaturas da água da torneira e da panela de pressão.

Com essas atitudes podemos salvar vidas!

Leia mais

5º dia - Primeiros socorros em tempos de pandemia

Ter conhecimento em primeiros socorros é de vital importância, caso seja necessário, a prática de um atendimento prévio em casa ou no trabalho.

Em alguns casos em que as técnicas de primeiros socorros são aplicadas, não há sequer necessidade de levar o paciente para atendimento médico urgente.

“Para começar, é importante lembrar que diante de uma situação em que sejam necessários os primeiros socorros, as pessoas não podem tomar medidas baseadas no que elas acreditam ou informações repassadas por outras pessoas leigas (mãe, avó, vizinhos), como por exemplo: uso de pó de café em feridas, creme dental em queimaduras, não dormir após bater a cabeça. Toda e qualquer medida deverá seguir o que a ciência recomenda”.

Também é importante manter em casa e/ou no trabalho um kit de primeiros socorros. Uma maleta contendo antisséptico, gaze, luvas, esparadrapos, ataduras, algodão e soro fisiológico. Colocar o kit em local de fácil acesso para que, em alguma necessidade, ele seja encontrado rapidamente. Outro ponto importante é ter os números de atendimento de emergência sempre à vista. Também é importante ensinar às crianças os principais contatos como: Samu (192), Corpo de Bombeiros (193) e Polícia Militar (190).

SANGRAMENTO NASAL

Em determinadas épocas do ano, é comum que o clima muito seco cause sangramento nasal em algumas pessoas. A região nasal é muito sensível ao ar seco, com as crianças acontece com mais intensidade, pois estão sempre querendo remover alguma sujidade e acabam provocando ferimentos no local com as unhas. Nesses casos mais leves ou até pequenos acidentes, o que pode ser feito é pressionar o nariz por 20 minutos, mantendo a respiração pela boca. Importante não inclinar a cabeça para trás, como muitos fazem, pois, o sangue que está no nariz pode escorrer para a garganta, provocando até mesmo um engasgo.

TRAUMA NA CABEÇA

O trauma na cabeça é também um dos que mais preocupam. O que deve ser feito é uma observação do estado geral do indivíduo por até 72 horas, período em que podem surgir os sintomas que sinalizem algo mais grave. Muitas vezes, podem apresentar episódios de vômito, palidez cutânea e sonolência. São sintomas que surgem na maioria dos casos e que dura em torno de 15 a 30 minutos. Transcorrido esse tempo, o indivíduo precisa voltar ao normal. Caso esse tempo seja excedido, a sonolência e os vômitos persistam por mais tempo e o indivíduo comece a não responder a estímulos, com alteração no tamanho das pupilas, fala confusa e desequilíbrio ao andar, aí sim será necessária uma intervenção médica no pronto socorro. Há também os traumas em que nenhum desses sintomas aparece e nasce somente aquele famoso “galo”, nesse caso, devemos fazer compressas geladas, pelo menos três vezes ao dia, para que o hematoma regrida.

QUEIMADURAS

As queimaduras mais leves devem ser lavadas com bastante água corrente em temperatura ambiente, nunca com água gelada. Essa lavagem com água corrente deve durar por, pelo menos, 20 minutos para que todas as camadas da pele sejam resfriadas. Algumas pomadas podem ser utilizadas, mas sempre com indicação médica. Em casos que envolvam crianças, os pais podem ligar e pedir a orientação ao pediatra. Nunca utilizar remédios caseiros como pó de café ou creme dental nas queimaduras, esses produtos não vão ajudar. Em casos mais graves, com queimaduras de segundo ou terceiro grau, o indivíduo deve procurar imediatamente ao hospital.

ENGASGO

Os principais sinais de que a criança está com obstrução das vias aéreas são: o corpo fica mais flácido, a boca e as pontas dos dedos vão ficando mais roxinhos e dificuldade respiratória caracterizada por um chiado. Os engasgos ocorrem com frequência e podem ser muito perigosos, então se faz necessário que os pais e outros familiares conheçam as principais manobras de salvamento, como a Manobra de Heimlich e para os adultos também temos uma outra forma de praticar a manobra:

Leia mais
Skip to content